Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

MUNDO

Hamas reabre a fronteira com Egito e brasileiros têm esperanças de sair

Até o momento, 599 estrangeiros foram autorizados a deixar o país; nenhum é brasileiro

Por Redação SDI
06/11/2023

Foto da fronteira com o Egito que foi reaberta, Rafah

Após um mês de espera, um grupo de 34 brasileiros, presos na Faixa de Gaza devido aos conflitos entre Israel e o Hamas, recebeu uma notícia que trouxe alívio e esperança. 

A passagem de Rafah, na fronteira entre Gaza e a península do Sinai, no Egito, será reaberta após três dias de fechamento.

A decisão de reabrir a fronteira foi anunciada pelo Hamas, que controla a Faixa de Gaza, na manhã desta segunda-feira (6). Para os brasileiros, essa notícia representa a possibilidade de finalmente deixar a região marcada por confrontos entre Israel e extremistas islâmicos.

Desde que o Egito reabriu a fronteira na última quarta-feira (1º), 599 estrangeiros já foram autorizados a sair, a maioria deles norte-americanos. Nenhum brasileiro foi autorizado a sair até o momento.

Esperanças

Hasan Rabee, um palestino-brasileiro de 30 anos que tenta sair da região desde o início dos conflitos, diz ter esperanças: “Gente, acabamos de receber a notificação de que a fronteira já está aberta. Agora são três horas da tarde, muito tarde [para deixar Gaza], mas já foi aberta, é um sinal para os próximos dias”, disse ele em uma mensagem enviada ao Portal R7.

A reabertura da fronteira é parte do esforço contínuo para permitir a retirada de cidadãos com passaportes estrangeiros. 

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, acredita que o grupo de brasileiros possa finalmente deixar Gaza a partir da próxima quarta-feira (8), mas ele admite que pode haver atrasos no cronograma.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Veja também:

Volta da alíquota cheia do PIS/Cofins influenciou na alta, segundo IBGE
Empresa se alavancou contraindo dívidas e vendendo apartamentos na planta
Mudança não indica reconhecimento formal da união homoafetiva pela Igreja Católica
Economia global, políticas econômicas e dívidas nacionais também são pautas dos encontros do G20, cuja cúpula em 2024 acontece no Brasil
Desaceleração chinesa pode comprometer a demanda por produtos brasileiros
Mesma dificuldade ocorreu quando a Geração Y entrou no mercado de trabalho