Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

TAXA DE JUROS

BC pode fazer corte adicional de 0,50 p.p., mas ritmo de redução deve diminuir

Analistas projetam que Selic deve fechar o ano de 2024 abaixo de dois dígitos

Por Redação SDI

Fachada do Banco Central

Economistas apontam que o Banco Central (BC) pode escolher um corte adicional de 0,50 ponto percentual na taxa Selic, porém há chances de desacelerar o ritmo de redução. 

O Copom anunciou uma nova redução de 0,50 ponto percentual na taxa, que a levou a 10,75% ao ano, e indicou a possibilidade de um corte de mesma intensidade apenas na próxima reunião, em maio.

Anteriormente, desde agosto, a orientação era de novos cortes equivalentes nas próximas reuniões.

David Beker, chefe de economia e estratégia para Brasil, e Natacha Perez, economista para Brasil, do Bank of America, estimam uma taxa Selic terminal de 9,50%, “apesar da orientação futura, não esperamos uma alteração na flexibilização total ou um abrandamento do ritmo”

A equipe macroeconômica da Genial Investimentos também manteve projeções de cortes da Selic de 0,50 ponto percentual nas duas próximas reuniões e um corte final de 0,25 ponto em julho, a 9,5%. 

Para Mario Mesquita, economista chefe do Itaú, “o Copom afirmou que seu cenário não mudou e manteve sua projeção de inflação para 2025. Isso sugere, pelo menos no momento, uma taxa terminal inalterada”, disse ele, que tem como projeção juros a 9,25% ao final de 2024.

Comunicado do BC

Em nota oficial, o BC informou que a estimativa para a inflação segue em 3,5% para 2024 e 3,2% para 2025. 

Parte dos economistas aponta que o balanço de riscos está se deslocando no sentido de uma desaceleração do ritmo de cortes ser mais provável do que uma intensificação, o que poderia eventualmente levar a aumentos nas projeções das grandes instituições financeiras para a Selic – embora esse ainda não seja o caso.

“A nosso ver, a mudança na orientação aumentou a dependência de dados tanto das futuras decisões de cortes de taxas do Copom como da sua orientação”, disseram a economista-chefe do Santander, Ana Paula Vescovi, e sua equipe em relatório.

 “Acreditamos que há espaço para flexibilização no mesmo ritmo para as próximas reuniões, mas reconhecemos que a decisão de hoje (quarta-feira) aumentou o viés no sentido de uma redução no ritmo dos cortes em 2024.”

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Veja também:

Outras categorias, como MEI e programas relacionados ao CadÚnico, também serão afetadas
O tenente-coronel, Mauro Cid, junto com o pai, Mauro Lourena Cid, são investigados por envolvimento no escândalo das joias
Decisão do ministro da Justiça e Segurança ocorre depois de pedido de ajuda do governador
Embora a base pressione para a nomeação de mulheres, três nomes masculinos são os mais cotados
Voo precisou ser remarcado a aeronave chegou ao destino com sete horas de atraso
Batata-inglesa e azeite estão mais caros, em contrapartida, bacalhau e merluza tiveram preços reduzidos em comparação com o ano passado